CESÁRIO, Salvador

De IHGP
Edição feita às 14h40min de 21 de maio de 2015 por Adminihgp (Discussão | contribs)

(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa

(Séc. 19-20). Comer- ciante. O “Almanak de Piracicaba” de Camargo (1900) menciona três dúzias de botequins existentes em Piracicaba, por volta da passagem do século, dois deles localizados na praça central: o “de Salvador Cesário, largo da Matriz”, e o de António da Costa Pinto, junto ao Teatro (Santo Estêvão). Antunes (1959) evoca o “boteco do Salvador Cesário”, onde os moços “tomavam um copo de guanchuma (cerveja de baixa fermentação)”, na Piracicaba de fins do século 19. A maior concentração de botequins piracicabanos, de acordo com o almanaque de Camargo, ocorria na rua Direita (atual Moraes Barros), doze ao todo, dos seguintes proprietários: Derossa António (nº 52), Done Pacchine, Elydio Lopes (nº 4), Fernando Perez, Francisco Alferes, João Baptista Mathias, Manoel António Rabello, Oraboa Thomaz, Paschoal Didoni, Sabio Antonio, Sebastião Mugerina, Sophia Castro & Cia.


Pfromm Netto, Samuel, 1932-2012. Dicionário de Piracicabanos / Samuel Pfromm Netto. — 1. ed. — São Paulo : PNA, 2013.