BOCCHETTI, Rafael

De IHGP
Edição feita às 14h12min de 20 de maio de 2015 por Adminihgp (Discussão | contribs)

(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa

(Séc. 19-20). Alfaiate, principal proprietário da alfaiataria que tinha seu nome, à rua Moraes Barros, nº 163. A casa, que funcionava igualmente como chapelaria, anunciava no “Jornal de Piracicaba” do início do século o seu “grande estoque de chapéus Borsalino e de outros fabricantes nacionais e estrangeiros”. As confecções eram confiadas a “hábeis oficiais” contratados na capital paulista, “em condições de atender às mais altas categorias”. Por volta da passagem do século, Piracicaba contava com 14 alfaiatarias (Camargo, 1900). Na relação do Livro Protocolo de 1904 da Sociedade Italiana de Mútuo Socorro de Piracicaba consta o nome de um B. Bocchetti. O de Rafael Bocchetti aparece na lista do mesmo ano da Câmara Municipal, de italianos moradores de Piracicaba que não se naturalizaram. No almanaque de Piracicaba editado por Capri (1914), ocupa três páginas o discurso da professoranda srta. Vicentina Bocchetti, proferido por ocasião da sua formatura na Escola Normal de Piracicaba, como oradora da turma.



Pfromm Netto, Samuel, 1932-2012. Dicionário de Piracicabanos / Samuel Pfromm Netto. — 1. ed. — São Paulo : PNA, 2013.