COLL, Carlos

De IHGP
Ir para: navegação, pesquisa

(Séc. 19-20). Proprietário, na passagem do século, da “Olaria Hespanhola”, à rua do Porto, em sociedade com João Iglésias. Este último mantinha uma marcenaria na esquina da rua Treze de Maio com o Largo Municipal (atual Praça Tibiriçá), onde recebia encomendas para a olaria. Um anúncio da firma, estampado por Camargo (1900), diz que fabricavam “telhas número um, iguais às marselhesas” em tamanho, bem como “tijolos refratários para uso industrial, tijolos de molduras e ladrilhos para pavimento” e garantiam “toda a seriedade em negócio”. O almanaque de 1900 refere-se a 23 olarias existentes em Piracicaba naquele ano, dos seguintes proprietários: Maria Duarte Barbosa, Natalio Bizzo, Joaquim Ferraz de Campos, Antonio Morato de Carvalho, Fausto Chiavusso, Coll & Iglésias, Felipe Diehl, Maria Isabel Duarte, Antonio Gaspar Fessel, Germano Francelli, Pedro Frevelin, Manoel Pinto Girão, Salvador Gobbete, Marcelino Franco de Lima, Luigi Malosso, Luiz Nasella, Paulo Olivetto, Jeronymo Ometto, Joaquim Lucas Ribeiro, Ignácio Ferreira de Campos Salles, Bibiano da Costa Silveira, Acácio Stipp, Antônio Rodrigues Vianna. Uma relação mais antiga de olarias piracicabanas, datada de 1873 e publicada no “Almanak” de Luné e Fonseca, referia-se a apenas cinco olarias, de propriedade de Francisco Adolpho Appolino, Martinho Fischer, Conrado Hebling, Joaquim da Cunha Raposo e Ignácio Ferreira de Campos Salles.


Pfromm Netto, Samuel, 1932-2012. Dicionário de Piracicabanos / Samuel Pfromm Netto. — 1. ed. — São Paulo : PNA, 2013.