CASTILLON, Francisco Salgot

De IHGP
Ir para: navegação, pesquisa

N. Espanha, 1925. F. Piracicaba, 23.1.2002. C.c. Ladice Salgot Castillon. Engenheiro, político, vereador e prefeito municipal, deputado estadual. Sobrinho do pe. Martinho Salgot (v.), irmão de sua mãe viúva, que o educou. Foi duas vezes vereador, duas vezes prefeito de Piracicaba e duas vezes deputado estadual. Nos anos 40 estudou no Rio de Janeiro, formando-se na Escola Nacional de Engenharia da Universidade do Brasil, época em que se filiou à União Democrática Nacional (UDN). De volta a Piracicaba, foi um dos fundadores do Partido Popular (PP), liderado por Tancredo Neves. Reorganizou e presidiu a UDN local e foi eleito vereador em 1951, tendo participação bastante ativa nos anos cinqüenta. Em 1956 reelegeram-no vereador, o mais votado da cidade. Uma coligação de seis partidos apoiou sua candidatura à prefeitura e em disputa acirrada venceu sua primeira eleição para prefeito (1959), apesar de manobras políticas que tentaram obstaculizá-lo e até mesmo impedir sua posse. Esteve à frente da prefeitura de janeiro de 1960 a agosto de 1962, licenciando- se neste último ano para ser candidato a deputado estadual. Sua operosidade e dedicação à solução dos problemas da cidade valeram-lhe duas vitórias em eleições para a Assembléia Legislativa do Estado (1962, 1966). Retornou a Piracicaba para disputar novamente a prefeitura em1968. Eleito prefeito municipal pela segunda vez, governou até 16.10.1969, quando teve os direitos políticos cassados, sem saber por que. Perdeu seu mandato e voltou a trabalhar em Piracicaba como engenheiro. Da mesma forma, sem saber qual o motivo, foi detido em 1970 e aprisionado no quartel de Campinas. Em declarações que fez ao “Jornal de Piracicaba” a 31.1.1993, atribuiu as perseguições e prisão que sofreu provavelmente ao seu envolvimento com sindicatos piracicabanos tanto enquanto era prefeito como quando foi deputado estadual. Permaneceu sem direitos políticos durante uma dezena de anos, só os tendo de volta em 1979. Referindo-se à atuação de Castillon na prefeitura de Piracicaba em 1960-62, diz Elias Netto (2000) que ele “transformou o município num canteiro de obras... Atacou, ao mesmo tempo, a cidade e o campo. Em um ano, pavimentou mais de 90 mil metros quadrados de ruas e avenidas. Iniciou as obras do Estádio Municipal, empolgou a cidade com a remodelação completa do Mirante... Criou jardins em quase todos os grupos escolares, estendeu a rede d’água para bairros que não eram atendidos por esse serviço... E, em grande ousadia, rasgou a nova avenida Beira Rio, mudando toda a fisionomia” desse local. Na zona rural, colocou Piracicaba “como cidade pioneira do Brasil em eletrificação e telefonia rurais”. Iniciou a construção da Estação Rodoviária, completada pelo prefeito Alberto Coury (v.) e inaugurada em 1963. Em 1967 Castillon liderou, sem êxito, os empenhos para a criação da Universidade Luiz de Queiroz de Piracicaba, malogrados por causa da oposição ferrenha dos professores da ESALQ e da Faculdade de Farmácia e Odontologia. Corajoso, inteligente, empreendedor e dotado de extraordinária capacidade de trabalho, Salgot Castillon destacou-se como um dos mais notáveis políticos e administradores piracicabanos do século vinte.


Pfromm Netto, Samuel, 1932-2012. Dicionário de Piracicabanos / Samuel Pfromm Netto. — 1. ed. — São Paulo : PNA, 2013.