BARROS, Francisco Galvão Paes de (Padre Galvão)

De IHGP
Ir para: navegação, pesquisa

N. Itu, SP, 18.1.1837. F. Piracicaba, 27.10.1898. F. de Matheus Lourenço da Silva Paes e Maria Leopoldina de Barros Paes. Foi aluno dos capuchinhos franceses de Sabóia, que entre 1854 e 1876 dirigiram o Seminário Episcopal de São Paulo. Nomeado coadjutor do vigário Joaquim Cipriano de Camargo junto à paróquia de Santo António, o Pe. Galvão aqui chegou, vindo de Itu, a 3.3.1863. Como vigário da paróquia de Piracicaba, esteve à frente da Matriz de Santo António de 1868 a 1898. Presidiu em 1.1.1893 o lançamento da pedra fundamental da Igreja do Sagrado Coração de Jesus e empenhou-se para trazer a Piracicaba as irmãs de São José, confiando-lhes o Colégio Assunção (J. E. Sesso, Jornal de Piracicaba, 27.10.1989). Sacerdote popular e estimado, é assim descrito em Capri (1914): “No presbitério era inflexível e dedicado à vinha do Senhor... Na vida mundana, um homem sociável, um cavalheiro de muita educação. De estatura elevada..., sempre amável e risonho, espirituoso e conversador, dando o cavaco por uma anedota e tendo delas boa provisão, era recebido com alegria em grande roda de amigos, que o seu gênio expansivo congregava. Tinha um coração de pomba, inábil para os rancores, mas pronto no perdoar ofensas, sempre generoso e cheio de afetos. A sua bolsa estava a toda a hora aberta para socorrer os necessitados”. Uma verdadeira multidão acompanhou seu enterro. Sepultado em cova simples no Cemitério da Saudade, só por ocasião da reforma deste, quando Fernando Costa (v.) era prefeito de Piracicaba, o padre Galvão recebeu túmulo condigno, por iniciativa de um grupo de amigos seus, convertendo-se em local de pedidos, orações e romarias. Uma rua no bairro de São Dimas tem o nome do Pe. Galvão


Pfromm Netto, Samuel, 1932-2012. Dicionário de Piracicabanos / Samuel Pfromm Netto. — 1. ed. — São Paulo : PNA, 2013.