ANDRADE, Thales Castanho de

De IHGP
Ir para: navegação, pesquisa

N. Piracicaba, 15.9.1890. F. São Paulo, SP, 2.10.1977. Escritor, professor. C.c. Maria Garcia de Toledo. F. de José Miguel de Andrade (v.) e Castorina Castanho de Andrade. Começou a trabalhar como tipógrafo, ainda menor, na “Gazeta de Piracicaba”, mas deixou o emprego para se dedicar à fábrica de bebidas e torrefação de seu pai, atuando como vendedor-viajante. Após estudar no “Kindergarten” do Colégio Piracicabano e no curso primário do Grupo Escolar Barão do Rio Branco, diplomou-se pela Escola Complementar (posteriormente, Escola Normal Sud Mennucci). Ingressou no magistério em Jaú, numa escola isolada rural, lecionou a seguir em Porto Ferreira e tornou- se docente da escola modelo anexa à Escola Normal de Piracicaba. Nesta última lecionou diversas disciplinas. Foi inspetor técnico do ensino rural, diretor geral do Departamento de Educação e Secretário da Educação do Estado de São Paulo. Atuou por pouco tempo na política, junto à Câmara Municipal de Piracicaba, completando o tempo de um vereador renunciante (1924), e participou da Revolução Constitucionalista de 1932. Adquiriu um sítio a duas léguas de vila Rezende, no bairro de Recanto, montando neste um engenho de aguardente, olaria e moinho de fubá, plantando café e criando porcos. Promoveu a “Guerra Alfabetizadora”, movimento de grande porte, precursor das campanhas nacionais de alfabetização de adultos. Presidiu o E. C. XV de Novembro de Piracicaba e o Centro do Professorado Piracicabano e foi sócio honorário do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. Recebeu da Câmara Municipal da Capital paulista o título de Cidadão Paulistano. Escritor renomado, autor de várias obras didáticas destinadas ao ensino elementar, projetou-se no âmbito da educação graças notadamente ao livro “Saudade”, publicado e exaltado por Monteiro Lobato, com mais de duas dezenas de edições. Impôs-se igualmente como autor de livros destinados às crianças e romances juvenis, desde 1918, quando lançou o livro “A Filha da Floresta”, ilustrado por Alípio Dutra, ponto de partida da coleção “Encanto e Verdade”, editada pela Companhia Melhoramentos, em 26 volumes. Teve ao todo 47 livros publicados entre 1919 e os anos setenta. Em 1927 organizou e editou o livro “Histórias e história”, composto de contos pelos alunos da Escola Normal de Piracicaba na década de vinte. Em 1967 as Edições Melhoramentos publicaram o livro “Encanto e Verdade”, contendo quatro histórias de Thales. Faleceu num modesto quarto de pensão na capital paulista e foi sepultado no Cemitério da Saudade, em Piracicaba. Homenageado com um busto em bronze solenemente inaugurado junto ao G. E. Moraes Barros, em 1985 este foi destruído por vândalos e vendido como sucata aos pedaços no comércio local. Thales Castanho de Andrade dá nome a uma avenida local no Jardim das Flores, nas proximidades do Jardim Monte Líbano. A biblioteca infantil municipal ganhou seu nome à rua do Rosário n° 833 e um novo busto de Thales de Andrade, confeccionado por Jairo Ribeiro de Mattos, foi inaugurado em frente à Escola Estadual Moraes Barros em 2004. Em 1999 foi criada em Piracicaba a Associação de Amigos de Thales Castanho de Andrade, tendo Benedita Ivete Brandini de Negreiros como primeira presidente.



Pfromm Netto, Samuel, 1932-2012. Dicionário de Piracicabanos / Samuel Pfromm Netto. — 1. ed. — São Paulo : PNA, 2013.